intolerâncias alimentaressaúdesaúde intestinalsem glúten

Glúten, afinal de contas, o que é que tem de tão ruim assim sobre ele?

Glúten é saudável?

Compartilhe

O que é o Glúten?

​O glúten é um tipo de proteína que pode ser encontrada nos cereais como trigo, centeio ou cevada. É ele que confere a elasticidade às massas e pães.

Mas a verdade é que o glúten que tinha no trigo do pão que seus avós ou bisavós consumiam não é mais o mesmo que existe nas farinhas de hoje. As diversas alterações genéticas feitas no grão do trigo para que ele se tornasse mais resistente a pragas e doenças, alterou também o glúten tornando-o mais agressivo para nossa saúde intestinal.

Durante a segunda guerra o pão e outros farináceos ficaram escassos nos Países Baixos, foi então que os médicos perceberam que crianças com uma condição de saúde chamada doença de Gee-Herter, tiveram uma melhora em sua saúde. Os médicos da época começaram a relacionar a doença de Gee- Herter a ingestão de pães e massas feitas de trigo. E hoje está condição  é conhecida como doença celíaca.

A doença celíaca é uma doença autoimune muitas vezes difícil de ser diagnosticada e seus sintomas são facilmente confundidos com outras doenças o que dificulta ainda mais o diagnóstico. 

Os sintomas mais comuns são diarreia crônica, distensão abdominal, que são sintomas fáceis de relacionar a outras doenças.

Para o celíaco é imprescindível a retirada do glúten da dieta pois a progressão da doença leva a sérios problemas intestinais e não tratar a doença pode levar a morte.

Segundo o gastroenterologista Alessio Fasano 1% da população americana é celíaca porém 6% da população apresenta algum tipo de sensibilidade ao glúten. Pesquisas neste sentido começaram a ser feitas e estima-se que na verdade 40 a 60% da população tenha sensibilidade ao glúten. 

Talvez você não seja celíaco ou não tenha sensibilidade ao glúten, será então que retirá-lo da alimentação pode ser benéfico para você?

O fato é que existem vários benefícios na retirada do glúten e trigo da dieta. Uma dieta rica em carboidratos refinados pode resultar diversas doenças como  pressão alta, diabetes, resistência à insulina, obesidade.

 

Glúten é saudável?

A indústria fit e os alimentos "sem glúten"

Nos últimos anos os alimentos glúten-free ou "sem glúten", entraram na moda das dietas de emagrecimento e ficaram muito populares. As pessoas normalmente associam alimentos sem glúten a alimentos mais saudáveis porém o relacionam somente ao emagrecimento. 

Assim a tapioca, por exemplo, ficou popular também por não ter glúten. A tapioca é feita de polvilho, uma farinha refinada feita a partir da mandioca e é rica em carboidratos simples. Trocar o pão pela tapioca, em termos de emagrecimento, é meio que trocar seis por meia dúzia uma vez que ela tem muito mais carboidrato que o pão. 

A indústria alimentícia também é bem esperta e aproveita esta busca por alimentos mais saudáveis, que vem sendo crescente no Brasil, para fazer todo tipo de de alimentos fit, glúten-free. Não foram poucas as vezes que vi em destaque nas embalagens escrito “sem glúten” e pior de tudo, de alimentos que é óbvio que não contém glúten. É uma estratégia para vender mais e usar da boa fé da população que entendeu que sem glúten é bom, mas não sabe realmente o porquê.

Alimentos sem glúten não emagrecem. O grande benefício da retirada do glúten da dieta está na melhora de sintomas relacionados a inflamação no organismo porque o glúten é uma proteína pró-inflamatória para nosso intestino. O glúten ainda é associado a permeabilidade intestinal, que é uma condição em que micropartículas de dejetos do intestino caem na corrente sanguínea favorecendo a inflamação no organismo.

O problema maior de um corpo inflamado é que resulta em doenças crônicas. Existe um grande número de estudos documentando as relações entre inflamação e condições como Alzheimer, doenças inflamatórias intestinais, câncer, diabetes e artrite reumatoide.

Assim ao retirá-lo da dieta pode ser que você perceba uma melhora significativa em algum aspecto na sua saúde. No meu caso percebi que não tenho mais crises de rinite frequentes, as dores nas articulações que tenho devido ao uso do computador melhoraram muito também e não tive mais crises de tendinite.

Se você ainda consome trigo, te proponho fazer você mesmo o teste. Fique 30 dias sem pães, massas, bolos. Veja o que acontece com seu corpo, com suas emoções, com sua saúde em geral. Sugiro ainda que você faça um registro diário de como está se sentindo e assim poderá ter uma noção de como seu corpo se comportou sem o glúten.

 Um leitura mais aprofundada sobre os malefícios do glúten você pode encontrar no livro Barriga de Trigo do autor William Davis.

sem glúten emagrece?

Uma última coisa que quero deixar claro é que apenas porque algum alimento diz ser sem glúten não significa que ele é mais saudável. Produtos industrializados sem glúten costumam adicionar mais açúcar e gorduras não saudáveis como a gordura trans, e ainda existem outros substitutos questionáveis para compensar o sabor perdido. Então podemos concluir que alimentos sem glúten processados industrialmente, dificilmente melhoram a saúde. 

Se você não consegue de jeito algum ficar sem pão eu sugiro que comece aos poucos perdendo este hábito e  experimentando alternativas low carb, talvez até mesmo um pão low carb. Porém, tente ir diminuindo o consumo. Evite comer todos os dias e tente fazer receitas diferentes com ovos e vegetais para deixar seu café da manhã mais saboroso e saudável. 

Para te ajudar vou deixar aqui 4 sugestões de café da manhã: 2 com pães low carb e 2 com ovos deliciosos!

 

 

 

Ovos para que te quero!

fontes das imagens: <a href="https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background">Background photo created by freepik - www.freepik.com</a>

<a href="https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background">Background photo created by freepik - www.freepik.com</a>